29 de fevereiro de 2012

Novos pôsteres: Festival de Cannes

No ano passado, Faye Dunaway foi pura graça e sofisticação no pôster do Festival de Cannes. Agora, o evento chega a sua 65ª edição e Marilyn Monroe foi chamada para soprar as velinhas. Mais uma vez, o resultado é lindo.

O Festival de Cannes irá acontecer entre os dias 16 e 27 de maio, prometendo trazer grandes momentos da sétima arte.

Diva.

Indicação: 10 filmes com problemas de memória


Calma! Eu não fiquei louca. Não são os filmes abaixo que têm amnésia (ou quase isso), mas algum dos personagens envolvidos na trama! De qualquer forma, quando isso acontece em uma história acaba ganhando bastante destaque e envolvendo a todos no problema.

A seleção foi feita pelo site IFC e você pode acessar mais informações sobre cada um dos filmes através da matéria completa.


O que era mesmo que eu tinha para falar?

Novos trailers: Brave

A aposta da Pixar para o próximo ano é Brave, uma animação estrelada por humanos (pense bem, isso tem sido algo difícil de encontrar) de sotaque bem puxado, como é possível perceber na propaganda de televisão abaixo.



Um charme próprio.

Imagens: Star Trek 2

A continuação de Star Trek ainda não tem um título confirmado, mas já apareceram as primeiras imagens da produção. Não são fotos do produto final, claro, mas mostram os atores interagindo e os figurinos.

Nas imagens, divulgadas pelo site Coming Soon, é possível ver Zachary Quinto, Zoe Saldana e a grande novidade do elenco, Benedict Cumberbatch. Para ver mais fotos, clique aqui.






Matou a saudade?

28 de fevereiro de 2012

Divagações: The Artist

Muitos projetos que exigem coragem – e ela se manifesta de diferentes formas. Agora que o filme já ganhou cinco prêmios no Oscar, parece que todo mundo já falou sobre a incrível ideia de The Artist. Mas faça um esforço e lembre como estava o mundo há dois anos. Quando Avatar concorria em nove categorias, as pessoas falavam apenas sobre o futuro em 3D e as novas tecnologias, com mundos imaginários se transformando em reais e tudo se tornando possível através da imersão possibilitada por uma tela do IMAX. Nessa realidade, onde se encaixa um filme em mudo, em preto e branco e na proporção 4:3 (aquela da sua TV antiga, de tubo). É incrível ver James Cameron fazendo Avatar, sempre mergulhando no novo e submergindo para surpreender. Mas também é maravilhoso ver Michel Hazanavicius criar The Artist. Ele olhou para uma direção completamente diferente dos demais e fez algo único com elementos que todos já conheciam tão bem que até haviam esquecido como eram bons.

É nessa nostalgia, nesse resgate, que surge The Artist. O filme conta a história de George Valentin (Jean Dujardin), um ator de grande sucesso do cinema mudo. Bem sucedido, ele não acredita no potencial do cinema falado até que é jogado para escanteio. Orgulhoso, ele tenta resolver a situação apostando em sua antiga fama, mas só encontra mais decadência. Ao mesmo tempo, uma antiga fã dele, Peppy Miller (Bérénice Bejo) começa a crescer na carreira, algo que, de certa forma, é devido aos conselhos do ídolo. Os dois são rodeados por figuras clichês de Hollywood, como a coadjuvante invejosa (Missi Pyle), a esposa infeliz (Penelope Ann Miller), o fiel motorista (James Cromwell), o produtor de cinema (John Goodman) e o cachorro superinteligente (Uggie).

A questão é que, nesse filme, não importa que os personagens sejam óbvios. É preciso ver o que os atores fazem com eles – e são coisas fantásticas. O casal de protagonistas (e não venham me dizer que Bérénice Bejo é coadjuvante!) é extremamente expressivo e passa muita emoção em cada gesto. Enquanto Jean Dujardin vai do cômico ao melodrama com facilidade e naturalidade, ela transforma uma jovem sonhadora em uma mulher batalhadora antes que você perceba o que está acontecendo. Essas transições são ainda auxiliadas por outros elementos como os figurinos e cenários, que acabam relembrando diversos bons momentos da Hollywood da época.

Inclusive, é nessa atenção aos detalhes (reparem na cena inicial e na sequencia de Bérénice Bejo com o terno, são ótimas) que se percebe o quanto esse filme de origem francesa e belga admira o cinema americano. A estrutura dos estúdios, a ascensão e queda das estrelas, os ternos, os bigodes, os casacos e os cortes de cabelo. Obviamente, muitos filmes já retrataram essa transição do cinema mudo para o falado e alguns deles se tornaram clássicos, como Singin' in the Rain, por exemplo. Ainda assim, The Artist é uma homenagem que nem os americanos poderiam fazer ao seu próprio cinema, pois traz essa capacidade de enxergar aquilo que está na frente do nariz, amando defeitos e qualidades.

Assim, não é a toa que o filme foi bem recebido por onde passou. Ele transmite apenas carinho e humildade; é uma mensagem contra o orgulho e a favor de soluções criativas. Não dá para filmar em 3D e com cores exuberantes, que tal explorar o preto e branco? Não dá para transmitir tudo em palavras, que tal uma piscadinha capaz de dizer tudo? Para quem cansou de ver os mesmos filmes de sempre, The Artist relembra o que existe de tão bom no cinema. Parabéns para os artistas Michel Hazanavicius, Jean Dujardin, Bérénice Bejo e companhia!

Novos pôsteres: Serbuan maut

É estranho pensar que um filme de ação foi aclamado em festivais de cinema, mas esse é o caso de Serbuan maut, que chegou a ganhar o prêmio dado pelo público no Toronto International Film Festival.

Para quem estranhou o título, a produção é da Indonésia e conta a história de uma equipe de policiais das forças táticas especiais que acaba presa em um edifício por um criminoso e seu exército de assassinos e bandidos.

Tropa de elite.

Indicação: Estrelas do cinema mudo

Depois de ver The Artist, o jornalista David Denby, da revista The New Yorker escreveu um artigo sobre o estilo de atuação do cinema mudo. Com base no artigo, o pessoal do site elaborou uma galeria com fotos de estrelas da época.

Abaixo, saiba quem está nas fotos. Para ver, clique aqui.


Sem palavras.

Novos trailers: The Hunger Games

Falta pouco menos de um mês para a estreia de The Hunger Games e já apareceram os primeiros comerciais do filme feitos para a televisão. No Brasil, o lançamento está previsto para 23 de março.

O filme conta a história de Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), uma garota que, para salvar a irmã, se torna voluntária em uma competição onde sua própria vida está em risco. Essa também é a primeira parte de uma trilogia baseada nos livros de Suzanne Collins.

Falta pouco.

Novas imagens: Anna Karenina

Mesmo tendo boas adaptações para o cinema, acredito que já estava na hora de Anna Karenina voltar para as telonas. Dessa vez, a personagem-título será interpretada por Keira Knightley.

Como admiradora do livro, não posso negar que estou ansiosa e adorei ver as imagens divulgadas. A estreia está prevista para setembro em alguns países da Europa (Espanha, Suécia, Reino Unido, Dinamarca e Holanda).



Já disse que adoro estações de trem?

27 de fevereiro de 2012

Novos trailers: Wrath of the Titans

Não é segredo que a minha boa vontade com Wrath of the Titans é praticamente nula. Ainda assim, não dá para ignorar completamente esse filme que deve estrear no Brasil em 13 de abril.

Dessa vez, Perseus (Sam Worthington) embarca em uma aventura para resgatar Zeus (Liam Neeson), que foi sequestrado por Ares (Édgar Ramírez) e Hades (Ralph Fiennes).

Briga de família.

Novos pôsteres: Rampart

O pôster pode até ser clichê, mas eu gostei dessa arte de Rampart. Woody Harrelson está todo poderoso com esses óculos cheios de reflexos.

O filme já passou em diversos festivais e foi lançado em circuito limitado nos Estados Unidos. Ele iniciou um circuito mais amplo na última sexta-feira (24) na Irlanda e Reino Unido, mas ainda não há previsão de estreia no Brasil.

Poderoso.

Títulos que poderiam ter sido

Depois de ter sido surpreendido pelo título de The Sound of Music em espanhol (alguém já ouviu falar de La Novicia Rebelde?), o colunista Bob Mondello, do site NPR, resolveu dar uma pesquisada em como os títulos podem afetar a recepção do público. Nesse processo, ele descobriu diversos nomes que alguns filmes famosos poderiam ter recebido se o destino não tivesse dito o contrário. 

Para conhecer, acesse a matéria completa. Abaixo, veja alguns dos exemplos que ele descobriu. 


Mais comerciais?

Novos trailers: Salmon Fishing in the Yemen

O título é um pouco diferente, mas Salmon Fishing in the Yemen traz gente bem conhecida no elenco: Ewan McGregor, Emily Blunt e Kristin Scott Thomas, por exemplo.

Com a direção de Lasse Hallström, o filme tem a estreia prevista nos Estados Unidos para nove de março de 2012. Ou seja, em breve.

Pescando.

Aniversariante do dia

Já fazia algum tempo que o Cinema de Novo não homenageava os aniversariantes! Pois saibam que hoje é o dia de Timothy Spall.

Os planos dele para esse ano incluem Comes a Bright Day, Sofia, My Angel (que estava previsto para o ano passado), Love Bite, Wasteland e mais duas séries para a televisão. Ou seja, ele vai estar ocupado.

55 anos.

Vencedores do Oscar 2012

Com nove filmes concorrendo na categoria principal e apenas um grande favorito, a Academy of Motion Picture Arts and Sciences não está fazendo uma festa muito popular esse ano. Ainda assim, o Oscar continua sendo o prêmio mais importante do cinema estadunidense.

A seguir, confira a lista completa de indicados à 84ª edição do Oscar. Os vencedores estão em negrito.

Melhor Filme

Melhor Ator

Melhor Atriz

Melhor Ator Coadjuvante

Melhor Atriz Coadjuvante

Melhor Direção

Melhor Roteiro Original

Melhor Roteiro Adaptado

Melhor Animação

Melhor Filme em Língua Estrangeira
Rundskop (Bélgica)
Hearat Shulayim (Israel)
In Darkness (Polônia)
Monsieur Lazhar (Canadá)

Melhor Fotografia

Melhor Edição

Melhor Direção de Arte

Melhor Figurino

Melhor Maquiagem

Melhor Trilha Sonora Original

Melhor Canção Original
The Muppets: Bret McKenzie ("Man or Muppet")

Melhor Mixagem de Som

Melhor Edição de Som

Melhores Efeitos Visuais

Melhor Documentário

Melhor Documentário em Curta-Metragem
God Is the Bigger Elvis

Melhor Animação em Curta-Metragem

Melhor Filme em Curta-Metragem
The Shore

Quem deve levar a estatueta?

24 de fevereiro de 2012

Novos pôsteres: Piranha 3DD

O que exatamente significa 3DD eu não sei. De qualquer forma, Piranha 3DD é a continuação do filme com um “d” só e promete continuar na tendência de muito sangue e pouca história – em três dimensões, claro.

A estreia no Brasil está prevista para 17 de agosto e o elenco traz gente o suficiente para muitas mortes e mutilações.

Peixinho daqui.

Novos trailers: American Reunion

Com estreia prevista no Brasil para 20 de abril, American Reunion finalmente tem um trailer que entrega um pouco da história dessa nova ‘aventura’ de Jim (Jason Biggs) e companhia – que parece ser exclusiva dos meninos.

O filme conta a história de uma reunião de turma e conseguiu reunir boa parte da antiga galera. Será que ainda tem graça?


Gente responsável.

Indicação: A história do logotipo da Warner

Um logotipo, sem dúvida, diz muito a respeito de uma empresa. Logo, a história de um logotipo também tem a contar sobre o percurso da empresa em questão. Assim, é muito interessante dar uma olhada na retrospectiva do logo da Warner Bros., realizada pelo site My Film Views.

Abaixo, confira algumas imagens. Para mais imagens e informações detalhadas, acesse o texto completo.

Idas e vindas.

Novos pôsteres: Brave

Que inveja desse cabelão volumoso e vermelho da protagonista de Brave, Princess Merida (Kelly Macdonald)! Não que o pôster traga muitas novidades.

De qualquer modo, o novo filme da Pixar deve trazer ainda mais movimento para essas madeixas em 22 de junho, data prevista para a estreia no Brasil.

Ruiva com personalidade.

Guia Cinema de Novo no Oscar 2012 - Parte 18

Octavia Spencer
(Melhor Atriz Coadjuvante)

Vencedora do Golden Globe, ela chega ao Oscar com alguns pontos de vantagem, mas está concorrendo com uma colega de elenco. De qualquer forma, ela representa a maior chance que o filme tem de estampar na capa do DVD que recebeu um Oscar.


Surpresas e Injustiças
O Oscar vai ser no próximo domingo (26) e eu estou bem ansiosa para saber quem vai ganhar estatuetas para decorar a sala.

Mesmo assim, ao final da noite, teremos mais perdedores e injustiçados. Como se já não faltasse gente reclamando que seu favorito não recebeu uma indicação... Abaixo, confira alguns fortes candidatos que nem ao menos foram indicados:

Ao mesmo tempo, também tivemos algumas surpresas, como a presença de Margin Call e Bridesmaids concorrendo a Melhor Roteiro Original, além das que eu já mencionei nas postagens anteriores.

Será que a noite do dia 26 trará mais surpresas? Normalmente, a Academy é bastante previsível, mas isso não impede que a cerimônia tenha algum brilho a mais. Até domingo! E não esqueçam de acompanhar o Cinema de Novo pelo twitter.

@cinemadenovo

23 de fevereiro de 2012

Divagações: Extremely Loud & Incredibly Close

Se existe uma coisa em particular que me incomodava antes de ver Extremely Loud & Incredibly Close, eram as opiniões que as pessoas estavam emitindo sobre o filme, tão diversas umas das outras que me impediam de esperar qualquer coisa. Enquanto os espectadores comuns pareceram ter adorado, a crítica especializada não foi lá muito gentil. E posso dizer que, depois de sair da sala de cinema, entendi um pouco da opinião de ambos os lados.

Oskar Schell (Thomas Horn) é um garoto nova-iorquino que perdeu seu pai, Thomas Schell (Tom Hanks), nos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Motivado por uma relação não muito pacifica com a mãe, Linda (Sandra Bullock), e pela saudade que sentia do pai, Oskar resolve buscar por toda a cidade a fechadura para uma chave encontrada em um vaso no seu armário, esperando que ela possa conter algum tipo de mensagem de seu falecido pai.

A sinopse lembra alguma coisa? As comparações com Hugo são inevitáveis e até mesmo injustas, levando em conta que o objetivo do filme é outro. Nos dois casos temos um garoto ‘perdido’ pelas ruas em busca de uma resposta para uma morte prematura, assim, mesmo que em ambos os casos a chave – ou a fechadura – sejam apenas elementos que desencadeiam a história, em Extremely Loud &Incredibly Close o importante não é o objetivo final, mas a jornada.

Não dá para esconder que este é um filme dramático, feito para emocionar e que lança de todos os artifícios já conhecidos do gênero para isso. A relação entre pai e filho, as dificuldades do protagonista, a perda e a reconciliação, tudo é construído para o espectador se apegar e se comover. Quer dizer, essa era a intenção, mas é fácil para quem não gosta de dramas ver como os personagens são fracos – como pessoas, não no sentido narrativo – e isso pode acabar incomodando quem busca resoluções um pouco mais práticas.

Outro ponto a se ressaltar é o próprio protagonista. Apesar de o filme tentar induzir o espectador a sentir pena daquele pobre garoto, não são todos que conseguem engolir o discurso emocional. Às vezes, as dificuldades de Oskar mais irritam do que comovem. O que me levou a questionar suas atitudes em vários momentos, assim como o papel desempenhado por sua mãe, que, apesar de ter uma espécie de ‘redenção’ no fim do filme, não tem presença o suficiente para conduzir a história para outro caminho.

Assim, o filme peca em um roteiro que se apressa para fechar algumas pontas soltas de modo um pouco forçado. De certo modo, é como se toda a conclusão não encaixasse bem com o miolo da trama. Apesar disso, ele é tecnicamente muito competente, com uma boa fotografia e uma boa construção dos personagens nos pequenos detalhes.

Ou seja, não acho que Extremely Loud & Incredibly Close tenha apenas deméritos. O problema maior é exatamente a condução da história para o drama de um modo tão fechado que realmente é difícil agradar quem gosta de outro tipo de narrativa. Eu facilmente veria e até mesmo gostaria, de outro filme com estes mesmos personagens em um cenário um pouco mais leve e sem a pretensão de fazer o publico chorar. Desse modo, acho que ele cabe muito bem para aqueles que não só gostam do estilo, mas estão no clima para um melodrama mais explícito. Quem busca por algo mais sensível ou sublime, dificilmente vai encontrar nesse filme o que procura.


Texto: Vinicius Ricardo Tomal
Edição: Renata Bossle

Novos trailers: Friends with Kids

Depois de um pôster absolutamente sem graça, Friends with Kids tenta recuperar um pouco da moral com um trailer para maiores de 17 anos (para assistir o vídeo, coloque a data de seu aniversário).

O filme conta a história de dois amigos que decidem ter um filho sem ter um relacionamento amoroso, livrando a criança de possíveis idéias preconcebidas sobre relacionamentos.


Tem uma falha nesse plano?

O que não fazer se você ganhar um Oscar


A grande noite é no próximo domingo (26)! Caso você esteja concorrendo a um prêmio (e lendo o meu blog!), não deixe de conferir a essas dicas que a Empire Online dá para não se fazer quando se ganha um Oscar.

Para lembrar quem já deu vexame, clique aqui e leia o texto original. Abaixo, confira as dez dicas.

  • Tire um momento para beijar e abraçar as pessoas próximas, mas apenas um momento.
  • Não suba nas cadeiras para ir até o palco (foto).
  • Não envie um representante para receber seu prêmio.
  • Não chore demais.
  • Decore uma frase espertinha para o caso de engraçadinhos.
  • Não se esqueça de agradecer seu marido (ou sua esposa).
  • Não dedure ninguém.
  • Seja encantador.
  • Tente ser eloquente – mas não muito.
  • Divirta-se!

Só falta escrever o discurso.

Novas imagens: Snow White and the Huntsman

Kristen Stewart, Chris Hemsworth, Charlize Theron e companhia estão lindos nas fotos de Snow White and the Huntsman divulgadas pela Teen Vogue.

O filme está previsto para estrear no Brasil em primeiro de junho de 2012 e deve sofrer um pouco com as comparações com Mirror Mirror, que estará em cartaz em seis de abril.











Só no carão.

Guia Cinema de Novo no Oscar 2012 - Parte 17

Melissa McCarthy
(Melhor Atriz Coadjuvante)

Outra comediante entre os indicados, ela representa a maior surpresa nessa disputa e, justamente por isso, poucos a veem recebendo o prêmio (inclusive porque o filme é uma comédia escrachada). Mesmo assim, o reconhecimento é válido.


Janet McTeer
(Melhor Atriz Coadjuvante)

A única das indicadas nessa categoria que não está concorrendo ao prêmio pela primeira vez é, também, uma das mais desconhecidas do grande público. Será que a Academy tem uma memória melhor a respeito dela?
  • Filme: Albert Nobbs
  • Indicações anteriores: Melhor Atriz por Tumbleweeds.
  • Próximos trabalhos: Nada na agenda (por enquanto)